Dicas e truques para a nossa casa A minha hortinha. Jardim na varanda. Reciclagem Ideias originais

Terça-feira, 6 de Maio de 2014
O primeiro melrinho já nasceu

Aqui está o anúncio pela voz da minha filha Sónia (fotografia também dela)

 

Venham ver, amigos! O primeirinho já nasceu! Verificámos que, durante todo o dia, a melrinha (a qual baptizámos com o nome «Ária») não saiu do seu posto. Os pedaçinhos de fruta já tinham desaparecido mas, como o seu voo matinal nunca mais acontecia, tinhamos medo de a afugentar para ir renovar a comidinha. Tanta imobilidade fez a mamã desconfiar de que os ovinhos estivessem quase a eclodir. Ao fim da tarde, resolvemos arriscar e ir devagarinho renovar a fruta. A Ária, assustadiça, voou logo. pusemos o pratinho no seu lugar e aproveitámos para dar uma olhadela rápida ao ninho. E foi assim que o encontrámos, ainda sem ter saído completamente da casca. Tive a tentação de colocar a câmara em modo de vídeo mas a mamã alertou-me (e com razão) que poderíamos demorar demasiado tempo. O bébé ficaria com frio e os outros poderiam não eclodir. Assim, temos que nos contentar com a fotografia. Cá fica o gaiato/a. Espero que gostem. A mamã já comeu uns baguinhos de fruta e já está a cuidar do seu pintainho. Beijinhos.




publicado por Clara às 19:23
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 3 de Agosto de 2013
Mais espaço

Tenho andado muito afastada deste cantinho onde gosto tanto de vir conversar um pouco. Peço desculpas, problemas de saúde mantiveram-me afastada.

 

Lembram-se de eu dizer que gostava muito do jardinzinho que tinha feito na varanda virada a Sul e da hortinha criada na varanda virada a Norte, mas que estava a ficar rapidamente sem espaço?

Um dos desejos que eu tinha era de poder colocar uma cadeira ao fim do dia e ficar ali a apanhar um pouco de ar fresco e a ler no meio das minhas flores. Seria também muito útil para a minha Mãe que cada vez sai menos de casa mas também precisa de ar e de sol (que não seja em demasia, é claro!)

 

Pois bem, a verdadeira fada do espaço que é a minha filha Sónia, do pouco fez muito e conseguiu que, mesmo adquirindo uma nova roseira para o jardinzinho e novas semeaduras para a horta, houvesse espaço para a tal cadeira na varanda da frente e para nos deslocarmos sem tropeçar nos coentros e na salsa na varanda de trás.

 

Entretanto, as plantas têm crescido bem e algumas estão mesmo uum encanto.

 

DICAS: se não quiser ficar rapidamente sem algumas ervas e temperos e depois ter de ficar à espera de que novas plantas voltem a crescer, deixe as que tem crescerem suficientemente para  que os raminhos se tenham já bifurcado  (às vezes trifurcado) 3 ou 4 vezes. Depois, quando for colher, corte sempre a parte de cima de cada raminho, sempre acima de um nó de bifurcação, deixando pelo menos dois a desenvolverem-se. A planta, assim, não vai morrer e vai continuar a crescer e a desenvolver-se através dos raminhos que deixou.

 

Quanto às plantas que dão fruto, os tomateiros, os morangueiros, os pimenteiros, etc, quando os frutos estiverem maduros vá colhendo. Se a planta ficar demasiado pesada, deixará de produzir mais, mesmo que ainda esteja na altura de o fazer.

 

 

Mas vamos ver como estão?

 

Varanda da frente/mini-jardim

 

     

 

 

   

 

 

 

    

                                                    Saída para a varanda/Entrada para o mini-jardim

 

 

 

 

Varanda detrás-Horta

 

 

   

 

 

 

   

 

A  segunda foto a contar de cima  é de beldroegas, uma erva considerada daninha que cresce espontâneamente em certos campos mas invade completamente as culturas adjacentes, daí ser tão mal amada. Pertence à familia das Portulacas que tem várias espécies, a maioria das quais não comestível. São plantas ornamentais com flores lindíssimas.

Estas que tenho na varanda e que, como já disse, são muitas vezes consideradas daninhas, são da espécie Portulaca oleracea, com folhas carnudas e são excelentes para a saúde. No meu adorado Alentejo existem em grande quantidade e há até uma receita de sopa típica, que leva beldroegas e queijo de cabra e que eu, alentejana renegada nisto, detesto mas que os meus filhos adoram.

 Eu prefiro usá-las em normais sopas de legumes, em vez dos habituais espinafres ou grelos, e também é excelente em saladas. Também dá um excelente esparregado e arroz de beldroegas, uma delícia.

São muito ricas em ferro, potássio e possuem até ácido acetil salicílico, o princípio base da aspirina, pelo que são por vezes aconselhadas para aliviar dores de cabeça. Também ajudam a controlar diarreias e vómitos e restauram a flora intestinal.

Independentemente de tudo isso, são saborosas!!!

 Eu uso as minhas com aquele truque que já disse: deixei-as crescer muito e agora corto as partes superiores dos vários ramos, sempre acima de nós já em desenvolvimento. Uma semana depois voltam a estar em condições de dar outra sopa ou outra salada.

 

Bom proveito a todos!




Fotografias feitas por minha filha Sónia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por Clara às 12:32
link do post | comentar | favorito
|


Bom Dia
200320134488
take a screenshot

pesquisar
 
Autores
tags

todas as tags

posts recentes

O primeiro melrinho já na...

Mais espaço

participar

participe neste blog

links
arquivos

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


Contador de visitas
Directório de Blogs
Directorio de Blogs Portugueses
blogs SAPO
subscrever feeds