Dicas e truques para a nossa casa A minha hortinha. Jardim na varanda. Reciclagem Ideias originais

Sábado, 2 de Novembro de 2013
Recuperar um cesto de roupa estragado

Antes de mais nada, devo pedir desculpa pela ausência. Foi mais  forte do que a minha vontade em vir escrever e em conviver desta forma com todos vós. Problemas de saúde graves, sobretudo da minha Mãe, impediram-nos, a meus fihos e a mim de passar por aqui. Estou mesmo em dívida com os autores de comentários bem simpáticos e queridos que só agora vi.

Agora que a minha Mãe já está um pouco mais estabilizada, tanto quanto alguém com 93 anos e as doenças que tem pode estar, conto já poder vir algumas vezes, passar por aqui com mais frequência.

 

Hoje, o pequeno artigo que aqui vos deixo é totalmente da autoria de minha filha Sónia: texto, fotos e, claro, o próprio trabalho em si.

 

Estou a postar eu porque ela ainda não sabe bem como fazer para postar tópicos novos, sem serem apenas comentários.

 

Eis então a contribuição da minha Sónia:

 

 

...E se o vosso cesto da roupa se estragar? Poucas coisas são tão feias quanto a visão da tampa de um cesto esfarelada ou desmontada.


Nesse caso precisamos de fitas coloridas (pode ser qualquer uma destas em baixo, linha ou corda e tesoura. Também pode ser qualquer tipo de fita ou faixa.


Fase 1 - Comece por pegar nas partes soltas e tente encaixá-las no cesto, como se vê aqui:



Com uma agulha e linha comece por atar e unir as peças, tal como se vê aqui:



O resultado, quando a tampa  já está atada:


Fase 2 - Pegue numa das fitas e corte um grande bocado. É preciso que ele seja grande (com vários metros) porque essa faixa irá dar a volta a toda a tampa do cesto. Coloque então uma ponta e faça um nó, tal como se vê aqui: 



Corte o excesso do nó. Com a ponta de uma tesoura de unhas (ou agulha, faca, etc...) comece por enfiar a faixa sempre no mesmo sentido (de fora para dentro). Na verdade vai enrolar a tira ao longo da borda. Porquê usar a ponta de uma tesoura? Porque as cerdas da tampa são irregulares. Às vezes são mais apertadas ou mais largas. A fita pode ter dificuldade em passar por espaços tão apertadinhos...


Enrole à volta do nó, tapando-o:


Enrole sempre de forma esticada, de maneira a que não fiquem espaços vazios:



Quando tiver chegado ao fim, vire a tampa do avesso. Pegue na fita, corte uns centímetros e cosa essa ponta com agulha e linha.


...eis o resultado:


Espero que tenham gostado!


publicado por Clara às 20:07
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 24 de Junho de 2013
Sabonetes caseiros

Exactamente como prometido, aqui fica documentado, uma vez mais com as fotografias da minha filha Sónia, o processo de fazer sabonetes.

 

Aproveitei ter uns presentinhos a enviar a uma grande Amiga e às suas adoráveis filhas e documentámos tudo para que os meus Amigos que por aqui passam possam partilhar connosco.

 

Materiais necessários:

 

Balde de glicerina-base para sabonetes. Existem de cor, branca opaca e transparente, Eu prefiro sempre a transparente porque isso permite que se possam ver bem os «enfeites» utilizados e/ou acrescentar um corante à nossa escolha.

 

Essência dos aromas (compram-se em drogarias, supermercados e/ou casas de perfumaria, onde podemos encontrar as melhores) que quisermos usar.

 

Copo misturador.

 

Enfeites à escolha: podem ser missangas, purpurina, fios de Natal cortados ou transformados a nosso gosto, especiarias, etc...

 

Recipientes para banho maria

 

Saquinhos de plástico com etiqueta

 

Formas de vários feitios e tamanhos

 

    

 

 

     

 

 

Preparação:

 

Corta-se a glicerina em vários pedaços e dividimos em 3 ou 4 porções se quisermos fazer sabonetes com cores ou aromas diferentes.

 

 

 

Coloca-se a primeira porção a drreter em banho maria. O ideal é não mexer mas, se quisermos apressar um pouquinho, podemos fazê-lo com uma colher de pau  (evite as de metal porque podem oxidar )  devagar e com cuidado para não fazer espuma que iria fazer os sabonetes ficar feios.

 

 

 

 

 

Entretanto, deitamos no copo misturador algumas gotas de essência do aroma que desejamos dar ao sabonete (cerca de 100 gotas de cada aroma para o fabrico de 6 sabonetes).

 

 

 

 

Nas formas colocamos os enfeites.

 

 

 

 

Nos saquinhos de plástico, escrevemos o aroma ou aromas usados nesta primeira leva. Neste caso particular, usei laranja e bergamota.

 

 

 

 

 

Quando a glicerina estiver derretida, deita-se no copo já com a essência.

 

 

 

 

Abana-se um pouquinho, muito devagar, apenas para misturar bem a glicerina com o aroma mas nem se mexe nem se agita com força para evitar a tal espuma.

 

 

 

 Colocam-se as formas num tabuleiro (com cuidado, para não entornar nem agitar) e levam-se ao frigorífico cerca de meia hora.

 

O restinho de glicerina que ainda fica no copo deita-se na  couvette com formas mais pequeninas e também ela vai para o frigorífico.

 

 

 

 

 

O processo repete-se com as outras porções de glicerina, apenas mudando os aromas e os enfeites.

 

No final retiram-se os sabonetes do frigorífico, desenformam-se e colocam-se nos saquinhos de plástico etiquetados com os nomes dos respectivos aromas.

 

Eis alguns deles:

 

 

   

 

 

 

E os pequeninos:

 

 

 

 

Agora, há que tratar das embalagens, não vamos oferecer sabonetes em saquinhos de plástico, não é?

 

 

As minhas filhas usaram latas de tabaco Camel, aproveitando o vício de fumar da minha filha Sandra (que ao menos tenha alguma utilidade positiva, não é verdade?) mas pode usar-se qualquer outro tipo de caixa ou lata, desde que tenha tampa; de chocolate em pó, de café, de gelados, etc...

 

 

 

 

Elas forraram e desenharam o forro fazendo de uma horrível embalagem de tabaco uma linda (perdoem a imodéstia e a babadice de uma mãe) uma linda embalagem de sabonetes:

 

 

A Sónia fez a embalagem para as Senhoras

 

    

 

 

A Sandra fez a embalagem para os Cavalheiros

 

 

  

 

Ou para Casais:

 

 

 

Uma vez completas as embalagens, forram-se com papel vegetal deixando um pouco fora da lata, introduzem-se os sabonetes nos respectivos saquinhos de plástico, dobra-se por cima a quantidade de papel que ficou de fora da lata, de forma a envolver e tapa-se.

 

Podemos acrescentar a esses sabonetes, antes de envolver no papel vegetal e de tapar, um saquinho para colocar entre as roupas numa gaveta, saquinho esse que se destina aos sabonetinhos pequeninos ( perfumam as roupas de uma forma eficaz mas discreta ). O material para esses sacos pde ser gaze, tule, quadrilé, algo que os consereve mas deixe o cheiro exalar-se.

 

 

 

 

E pronto, apenas vos posso desejar... Belos duches!!!!

 



publicado por Clara às 15:26
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
|

Sábado, 25 de Maio de 2013
Um perfume só para si


As minhas filhas sempre gostaram de ter alguns «miminhos» exclusivos, pequenos objectos que não eram valiosos do ponto de vista material mas sim porque eram únicos e pensados para elas.

Daí nasceu a ideia de criar perfumes que tivessem a ver com as suas personalidades e que lhes pertencessem apenas a elas.

Fazer perfume em casa, para ficar bem e não desaparecer da pele dois minutos depois de aplicado, não é tão fácil assim.  Comete-se várias vezes o erro de utilizar álcool daquele das farmácias, água destilada em quantidades exageradas ou até água oxigenada. E comete-se ainda mais frequentemente o erro de querer «despachar» o perfume, de obter resultados rápidos.

É, ao contrário, um trabalho demorado e que  exige paciência mas garanto que dá prazer, estimula a criatividade e vale a pena só para ver o sorriso na cara da pessoa em quem pensámos durante os meses que levou a estar pronto.

Vamos precisar de :

Essências  concentradas dos aromas – base.

 

 

 



Um almofariz.

 

 

 

 O almofariz só será usado quando, além das essências, pretendermos macerar folhas secas, minerais, especiarias, etc...

 


Frascos escuros, funil e contagotas

 

 

      

 

 


1 caderno onde vamos assentando o processo e onde ficará a fórmula final de cada perfume para o caso de desejarmos repeti-lo.

 

 

 

 



Álcool de cereais +  propilenoglicol

 

 

 



Fixador – essência de musk , bergamota, madeiras –base, etc. Depende do perfume que se queira fazer mas nas casas onde se vendem as essências, normalmente, há fixadores e hebitualmente podem obter-se conselhos também.


Água deionizada ( em caso de falta pode ser destilada)

 

Eu tenho todos estes «apetrechos» guardados naquilo a que cá em casa chamam o meu «arsenal de perfumista» e que consiste basicamente, numa caixa de madeira inteiramente«esculpida» com «baixos relevos» feitos à faca por minha filhota Sónia:

 

 

 

     

 

 

 

  

 

 

 Também será necessária, mais tarde, uma caixa com palha.

 

Preparação:

 

Funciona muito por tentativa e erro até encontrar a fórmula que desejamos. É por isso que eu vou anotando passo a passo, no meu caderninho, o que vou fazendo. Quando chego a um resultado que me agrada, copio a fórmula final para poder repetir.

 

Pensamos primeiro, claro, se desejamos uma colónia leve, uma água de toilette, ou um perfume concentrado.

 

As proporções são diferentes.

 

Como base geral, as proporções são:

 

 

      álcool e essência- cerca de 60 a 80%
      propileno e fixador - aproximadamente 3%
      água deionizada - cerca de 10a a 12%

 

 

Na parte de álcool e essência, a proporção de essência varia conforme queremos fazer colónia, perfume concentrado, etc... para este último pode usar até 35% de essência,

 

Eu faço colónia, normalmente, e utilizo 20% de essência.

 

Vamos imaginar que queremos um perfume à base  de rosas. Essência de rosa será o que mais iremos utilizar, claro. Mas, normalmente, só a essência do aroma que pretendemos não dá o resultado desejado. Temos de lhe adicionar outros aromas que, não adulterando a base a façam, em vez disso, realçar. No caso da rosa podem ser usadas algumas gotas de gerânio, de cravo ou de violeta, na proporção de duas gotas da essência escolhida para 10 de rosa.

Com um conta gotas, colocamos, por exemplo, 20 gotas de essência de rosa, e 4 gotas de essência de gerânio num frasco escuro.Rolhamos bem e esperamos 24 horas.

Ao fim das 24 horas, juntamos entre 30 a 35 gotas de álcool de cereais, umas 10 de propileno e umas 4 gotas de fixador ( no caso de aroma de rosa, o melhor fixador é a essência de bergamota ). Rolhamos o frasco, agitamos levemente e guardamos mais 24 horas.

 

Repetimos a operação 5 vezes ou 6.  A fim desse tempo juntamos água deionizada ou destilada na proporção do dobro do que temos no frasco (Se tivermos assentado no caderno todas as gotas de essências, de fixador, de álcool e propileno, etc, utilizadas até aí, basta colocar no frasco o dobro dessas gotas em água). Rolha-se de novo o frasco e esperam-se 48 horas.

 

Ao fim desse tempo coloca-se um pouquinho do conteúdo do frasco na parte interior do pulso, cheira-se, deixa-se secar e cheira-se de novo. Agrada? Óptimo. Não agrada? Entra aqui a tal tentativa e erro. E se adicionássemos umas gotinhas de essência de cravo? Ou se aumentássemos a dose da essência de rosas? Desaparece o cheiro num instante? É preciso um pouco mais de fixador. Etc...

 

Vamos sempre assentando o que fazemos, o nº de gotas de cada coisa e vamos repetindo todas as operações ( o ciclo recomeça sempre ) durante uns dois meses. Ao fim desse tempo, o conteúdo do frasco já deve ser suficiente  e já deveremos ter atingido um resultado bom ou muito próximo do desejado.

 

Vem então a 2ª fase que consiste em manter o frasco, sempre rolhado durante duas semanas, alternando períodos de 24 horas no frigorífico com períodos de 24 horas fora dele.

 

Ao fim desse tempo, desrolhamos o frasco e voltamos a experimentar um pouco no interior do pulso. Se o resultado for o pretendido ( nessa altura, normamente é ) Passamos à 3ª fase que consite em conservar o frasco rolhado envolto em palha numa caixa e num lugar escuro durante, pelo menos, dois meses.

 

Ao fim deste tempo, o perfume está pronto. As minhas filhas já terão guardado frasquinhos usados para outras coisas que reciclaram pintando-os e decorando-os, já terão escolhido um nome para o seu perfume e resta encher esses frascos que serão os definitivos.

 

     

 

 

Dá trabalho, é preciso paciência, se for um presente de Natal tem de começar a fazer-se lá para Maio mas garanto que vale a pena: saem perfumes exclusivos, totalmente personalizados, cujo aroma permanece bastante tempo na pele. E ver os sorriso de minhas filhas vale mesmo a pena todo o trabalho tido...

 

Já agora digo que me abalancei a fazer perfume para homem, mais difícil, por que eu também tenho um filho. Está a correr bem e é feito à base de alfazema e madeira de cedro.  Depois direi se resultou realmente.

 

Ficamos hoje por aqui, envolvam~se de aromas estimulantes e tenham um excelente sábado!

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por Clara às 12:38
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
|

Sexta-feira, 17 de Maio de 2013
Truques com Vinagre

 

Vou parecer muito azeda , muito avinagrada mas, hoje, vou falar de alguns dos truques fantásticos do vinagre.

Tenho 3 filhos, um rapaz e duas gémeas que detestam, todos eles, o cheiro do vinagre. Mas que reconhecem as suas qualidades, apesar de tudo.

A mim o aroma de vinagre não me repugna, pelo contrário, dá-me uma sensação de limpo e de desinfectado. Mas gostos são gostos e o que mais interessa agora é partilhar um pouco o que fui aprendendo a fazer com este produto.

 

Na Casa de Banho e na Cozinha:

 

Tem um cano entupido?

 

Despeje uma mão cheia de sal de cozinha, deite por cima 2, 5 dl de vinagre (poderá ter de repetir...), deixe actuar por cerca de meia hora e despeje, em seguida, 1 a 2 litros de água muito quente (muito quente, não a ferver!).

 

Tem a banheira, o lavatório, os azulejos com manchas?

 

Passe uma esponja embebida em vinagre puro, espere 10 minutos, passe água limpa.

 

Exactamente o mesmo se aplica em limpeza de fornos, fogões, etc... Tenha cuidado, contudo, ao utilizar o vinagre perto de botijas ou canalizações e gás. A mistura de vapores pode ser muito inflamável.

 

Antes de deixarmos as aplicações na cozinha, cabe lembrar que o vinagre é um dos melhores produtos que se podem usar para limpar frigoríficos por dentro e deixá-los sem cheiros suspeitos... Desligamos o frigorífico, tiramos tudo  e limpamos muito bem com uma esponja ou um pano embebido em vinagre. Passamos por água limpa e deixamos secar. Quando ficar seco, colocamos dentro do frigorífico uma tijela com água a ferver onde se colocou uma rodela de limão. Fecha-se a porta e deixa-se actuar. Desaparecem os maus cheiros e...o de vinagre.  E pronto. Já podemos colocar os alimentos dentro novamente e ligar o frigorífico.

 

No resto da casa:

 

É um excelente limpa-vidros e limpa-espelhos (neste último caso não se esqueça de puxar o brilho, depois, com um pano de feltro ou papel de jornal.

 

Se colocar estrategicamente tijelinhas com vinagre misturado com orégãos ou hortelã, isso afastará insectos.

 

Ajuda a tirar manchas de estofos e carpetes se não estiverem demasiado entranhadas.

 

 

E, agora, uma utilização das menos conhecidas:

 

Tem cachorrinhos ou gatinhos bébés com a mania de roer os rodapés das paredes, os pés de cadeiras e mesas, etc...?

 

Então passe com vinagre por tudo aquilo que eles possam alcançar e verá como se afastam...

 

Os meus amores, se pudessem falar, vos diriam se tenho ou não razão...

 

 

 

 

 Os meus queridos aqui tão cansadinhos!!! Mas amigos, hein?

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por Clara às 18:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|


Bom Dia
200320134488
take a screenshot

pesquisar
 
Autores
tags

todas as tags

posts recentes

Recuperar um cesto de rou...

Sabonetes caseiros

Um perfume só para si

Truques com Vinagre

participar

participe neste blog

links
arquivos

Janeiro 2015

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Janeiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


Contador de visitas
Directório de Blogs
Directorio de Blogs Portugueses
blogs SAPO
subscrever feeds